terça-feira, 11 de setembro de 2007

Poema Visual, (Jan/2006)


Um desenho querido e já antigo.

Foi destampada a lata no quintal do mundo
e o conteúdo, o tão famoso cheiro de chuva,
deslizou pelos ares...
Delícia que guardei noutra lata e mantive intacta
a aspirar o instante profundo.
Os pingos na terra molhada
preservam um broto
a cada sonho fecundo.

2 comentários:

Tainan Rocha disse...

Eta lê-lê!!!

Coisa linda de se ver!

Que maravilha hein, D. Carolina...
É um prazer ser o primeiro a comentar no seu lindo blog.

Meus sinceros parabéns!

Bejo grande, do amigo Tainan.

alexfelix79 disse...

Olha só!!! Isso já foi papel de parede no meu PC.
Baijos